Artes Marciais
Iaido

Iaido

A tradição e história do iaido remontam cerca de 500 anos. A arte japonesa de desembainhar a espada começou provavelmente com Iizasa Choisai, o fundador do estilo Tenshin shoden Katori shint-ryu. Essa escola incluía em seu currículo a prática com vários tipos de armas, desde o uso da katana e do bastão , ao arremesso de faca e de naginata. Uma parte de seu currículo consistia na técnica de desembainhar rápido e golpear imediatamente com o uso de espadas, ou seja, o iai. Essa técnica era usada para autodefesa ou ataque preventivo.
Ao longo da história diferentes expressões foram utilizadas para se referir às técnicas do saque da espada durante o combate. Durante o período Muromachi (1392-1572) era chamado de battojutsu. No período Edo ficou conhecido como iaijutsu.
É reputado a Hayashizaki Jinsuke Shigenobu (1542-1621), como em toda arte marcial, ter recebido inspiração divina para o desenvolvimento de sua técnica, assim como Iizasa Choisai. Inspiração essa que o levou a desenvolver um conjunto de técnicas que denominou Muso shinden jushin-ryu battojutsu. Aqui, a palavra batto significa simplesmente desembainhar a espada.
O fator comum relevante em ambas às tradições (escolas) ou ryu, assim como em muitas outras tradições que lidavam com katana, era que suas práticas envolviam somente o uso de katas, sempre preconizando adversários imaginários em seus treinos.
A criação do termo iaid é atribuída à Nakayama Hakudo (1869-1952), o fundador do estilo Muso shinden-ryu.
A denominação atual de iaido é amplamente usada no meio marcial, em publicações especializadas japonesas e em eventos oficiais para se referir genericamente à todas escolas, antigas e modernas, que ensinam o iai. Porém existem críticos à esta denominação, como o mestre Nakamura Taizaburo (1912-2003) considerando mais correto utilizar o termo battodo, ou iai-battodo. 
Ainda assim, atualmente o termo iaido é amplamente usado para referenciar a prática do iai tanto nos koryu quanto nos sistemos modernos, como Seitei iai  e Toho iai.
A prática do iaido se reveste de grande profundidade pois o iai tem como objetivo o autodomínio do praticante e a derrota do adversário sem a necessidade de desembainhar a katana. Em outras palavras, a conquista psicológica do adversário sem que haja necessidade do uso da espada.
A prática é feita visualizando-se os inimigos de acordo com os princípios de cada kata, não tendo necessariamente um oponente físico. Para fins didáticos, podem-se executar os movimentos com oponentes reais.
Um iniciante na arte utiliza uma espada de madeira (bokuto) ou uma iaito (espada com lâmina de liga metálica). Os praticantes mais avançados utilizam shinken, espadas de aço com fio.
Além dos katas, alguns estilos praticam também técnicas executadas com espadas desembainhadas (geralmente chamadas de kumitachi ). Outros estilos praticam também o tameshigiri ou o suemonogiri , que é o corte de rolos de palha de larguras equivalentes a partes do corpo humano.
Cada kata segue a mesma estrutura básica de quatro partes: Nukitsuke (desembainhar e cortar) Kirioroshi (corte principal com o uso das duas mãos) Chiburi (retirada do sangue da lâmina) e Noto (embainhar a espada); existem dentro desse formato variações consideráveis. Dentro das mais comuns encontram-se: golpear para frente com o tsuka (empunhadura da katana) antes de desembainhá-la, puxar a bainha (saya) para trás e golpear imediatamente girando-se para trás, cortar em ângulos diferentes de horizontal e vertical,  diagonalmente de baixo para cima e de cima para baixo ou pela lateral, entre outros.